Câmbio afetou competitividade da indústria, diz Coutinho

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse, nesta sexta-feira, 8, que a indústria brasileira perdeu competitividade após longos ciclos de apreciação cambial.

Ele lembrou que a participação da indústria no PIB caiu de 25% a 26%, no final do século passado, para 13% a 14% atualmente.

\\\"Após dois períodos longos de apreciação cambial, o primeiro de 1994 a 2000, provocado pela política de paridade e com juro lá em cima, e depois de 2005 a 2011, com a melhora extraordinária dos preços de commodities, com uma política também de valorização do real e com economia crescendo, a percepção não foi clara dos impactos na indústria\\\", explicou.

Coutinho participou de conferência promovida pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Coutinho afirmou que é preciso lutar para recuperar a capacidade competitiva da indústria e disse ser necessária uma política industrial de longo prazo, independentemente de problemas conjunturais, como a variação cambial.

O presidente do BNDES pediu que o trabalhador defenda uma melhora competitiva da indústria com preservação de emprego e admitiu: \\\"Sem fazer qualquer juízo de valor, é da natureza do capitalista sacrificar empregos em busca da rentabilidade\\\".

Para ele, \\\"felizmente a tendência da taxa de câmbio daqui para a frente será de depreciação do real\\\", diante do cenário de redução na liquidez e aumento nos juros do mercado norte-americano.

Coutinho lembrou que no passado recente se desgastou dentro do governo, quando a taxa de câmbio estava em R$ 1,60, mas que \\\"medidas ousadas\\\", como taxação com IOF de importados, foram tomadas, o que trouxe o dólar para em torno de R$ 2.

O presidente do BNDES citou o novo ciclo de volatilidade cambial recente no País e admitiu que as dúvidas em relação ao desempenho fiscal do Brasil, aliadas ao crescimento dos EUA no trimestre passado, vêm puxando o dólar desde a semana passada. \\\"Toda vez que a economia norte-americana mostra sinal de vitalidade, o mercado reage e precifica subida\\\", disse.

Coutinho estimou que a pressão \\\"nos próximos dois anos pelo menos\\\" será pela depreciação do real e que \\\"o desafio do governo para controlar a inflação é grave\\\" nesse cenário.

 

Fonte: exame.abril.com.br

NOTÍCIAS



CORRESPONDENTES DE CÂMBIO
MATRIZ
>> PORTO ALEGRE
Av. Plínio Brasil Milano, 757 | sb loja 201
Higienópolis
(51)3574.3422 |
>> CAXIAS DO SUL
Av. Júlio de Castilhos, 2700 - Térreo | lj 05
São Pelegrino
(54)3021.3422 |
>> NOVO HAMBURGO
Rua Bento Gonçalves, 2800
Centro
(51)3303.3422 |
NEWSLETTER



OUVIDORIA
0800 770-5422
ouvidoria@executivecambio.com.br
ATENDIMENTO
Segunda-feira à Sexta-feira
Das 9h às 17h
EXECUTIVE CÂMBIO
Caxias do Sul | Novo Hamburgo | Porto Alegre

Área Restrita:
Login: Senha:


© Copyright 2013 - Todos os direitos reservados à Executive Câmbio